São Paulo finaliza Programa de Aceleração da Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos

Piloto do projeto terminou em outubro com diversos aprendizados sobre planejamento e gestão participativa para Unidades de Conservação

30 de out de 2020

Crédito: Unsplash

De suma importância para a preservação da biodiversidade e para a conectividade ecológica, as Unidades de Conservação Municipais são o foco do Programa de Aceleração desenvolvido no contexto do Projeto Áreas Protegidas Locais. O programa visa contribuir para a melhora das condições dos governos locais na gestão efetiva e equitativa desses espaços, trazendo o olhar inovador para a gestão pública.

 

O piloto do programa de aceleração que aconteceu entre os meses de setembro e outubro de 2020 na Área de Proteção Ambiental (APA) Capivari-Monos, primeira Unidades de Conservação municipal da cidade de São Paulo, e envolveu a participação da gestão da APA e de outras UCs municipais, além de servidores públicos da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente – SVMA, da sociedade civil e de diversos stakeholders relevantes para o contexto local. 

 

Luccas Longo, gestor da APA Capivari-Monos e um dos representantes da Divisão de Gestão de Unidades de Conservação – DGUC/SVMA, afirma que a participação gerou diversos ganhos, não só na forma de olhar para os conflitos e potencialidades da Unidade de Conservação, mas para também organizar informações e demandas que busquem soluções integradas e colaborativas.

 

“O projeto piloto gerou a possibilidade de conhecer uma nova abordagem aplicada à gestão de Unidades de Conservação e a possibilidade de associá-la, juntamente com outros parceiros e sociedade civil, principalmente,  o conhecimento e as potencialidades da APA Capivari-Monos”. Luccas comenta que a revisão do Plano de Manejo da APA está prevista para 2021 e os aprendizados serão incorporados nesse processo. 

 

Após análise do potencial territorial, os temas agricultura e turismo foram eleitos como áreas de incidência, essa abordagem foi feita de forma transversal e intersetorial, e que resultou em duas “Teorias da Mudança”, que servirão como planos de ação com visão de curto, médio e longo prazo a serem desenvolvidas no Conselho Gestor da unidade, através de suas Câmaras Técnicas, conjuntas com a APA Bororé-Colônia, segunda APA municipal.

 

Para Vinicius Almeida, gestor do Parque Natural Itaim e também da DGUC/SVMA, um dos maiores ganhos para a gestão da UC foi a elaboração do plano de ação e objetivos que serão aplicados na gestão participativa da APA. 

 

Além dos resultados em planejamento e articulação com atores estratégicos importantes, os participantes tiveram uma forte assimilação da metodologia e do programa, tanto a nível político como técnico. Antes mesmo da finalização do piloto, a Câmara Técnica de Turismo, Agricultura e Desenvolvimento Sustentável foi reestruturada para servir de ambiente de discussão e concretização  dos planos criados durante o programa, integrando ainda a gestão da APA Capivari-Monos e da APA Bororé-Colônia, revelando ainda mais o impacto e a relevância do Programa de Aceleração para as Unidades de Conservação. 

 

Sobre o projeto 

 

O Projeto “Áreas Protegidas Locais e Outras Medidas de Conservação baseadas em Áreas em Nível dos Governos Locais” é implementado pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, em parceria com ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, a UICN – União Internacional para a Conservação da Natureza, e tem como contraparte os Ministérios do Meio Ambiente do Brasil, Colômbia, Equador e Peru.

 

O Projeto visa contribuir para a melhoria das condições dos governos locais para conservar a biodiversidade por meio da gestão efetiva e equitativa de áreas protegidas e de outras medidas de conservação.

 


Voltar
Compartilhe