Recife debate medidas para diminuir emissão de Gases do Efeito Estufa

Uma série de medidas para reduzir as emissões de gás carbônico (CO2) no Recife foi apresentada

01 de abr de 2015

Prefeitura do Recife

Uma série de medidas para reduzir as emissões de gás carbônico (CO2) no Recife foi apresentada, nesta quarta-feira (01), pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. Entre as principais iniciativas, estão o investimento em transporte público, ampliação da coleta seletiva e implantação do projeto Parque Capibaribe. Por ano, a capital pernambucana chega a lançar 3 milhões de toneladas de CO2 equivalente no ar. As ações fazem parte de um Plano de Mitigação às Mudanças Climáticas e foram debatidas junto aos membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM), na Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE), na Boa Vista.

Realizado em parceria com o ICLEI América do Sul através do Projeto Urban-LEDS o plano aponta as principais ações sustentáveis capazes de reduzir as emissões de CO2, tendo como base o Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) da cidade. “Estamos numa fase de apresentar a proposta e receber as contribuições da sociedade civil, através do COMAM. Ao mesmo tempo, estamos finalizando os estudos para estabelecer metas de redução. Queremos um plano palpável, que coloque a cidade num rumo mais sustentável e os gestores públicos disponham de metas claras para implementar as medidas pactuadas”, informou o secretário Executivo de Sustentabilidade da SMAS, Maurício Guerra.

De acordo com ele, o setor responsável pela maior quantidade de GEE jogada na atmosfera do Recife é o de transporte, devido à queima de combustível fóssil. São 66% de todo CO2 lançado. “Pelo automóvel ser o grande vilão, muitas soluções focam no estímulo ao uso de bicicleta, implantação de ciclovias e transporte coletivo, a exemplo do VLT e BRT. Há também o projeto Parque Capibaribe, que é um corredor de 30km destinado a ciclistas e pedestres às margens do rio. Eles representam passos fundamentais para mudar a cultura do crescimento da cidade, de forma a trazer menos impacto ao meio ambiente e ao clima”, disse Guerra.

Ainda durante o encontro, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) também apresentou os resultados de um Inventário de GEE realizado em 11 empreendimentos, em 2013. Usando um método da ONU, a instituição prestou consultoria individual às indústrias para diminuir as emissões de gases, a partir do uso de soluções sustentáveis. Aderiram ao programa unidades do segmento de cerâmica e química, localizadas nos municípios de Paudalho, Timbaúba, Ribeirão, Glória do Goitá, Caruaru, Nazaré da Mata, São Caetano, Igarassu e Paulista.

 

Fonte: Prefeitura do Recife