Encontro inicia os projetos selecionados pelo Action Fund Brazil

Representantes de organizações sem fins lucrativos participaram de uma reunião de lançamento do projeto Action Fund Brazil

16 de dez de 2020

Crédito: Carlitos BR (Morro da Cruz, em Porto Alegre)

Representantes de quatro organizações sem fins lucrativos – duas de Curitiba, duas de Porto Alegre – participaram nesta segunda-feira (14/12) de uma reunião de lançamento do projeto Action Fund Brazil.

 

As organizações foram escolhidas para aplicar projetos climáticos que utilizem dados públicos, como os disponibilizados na plataforma Environmental Insights Explorer (EIE), do Google, de forma a contribuir com a ação climática local de duas capitais brasileiras. “

 

Associadas à rede do ICLEI, Porto Alegre e Curitiba são cidades referência em planejamento urbano na América Latina, na opinião de Rodrigo Corradi, gerente de Relações Institucionais e Advocacy do ICLEI América do Sul. “Além disso, são cidades comprometidas politica e tecnicamente para abrir seus dados, e isso já diz muito sobre elas. Ainda, possuem em seu território organizações da sociedade civil com interesse em contribuir para o desenvolvimento urbano sustentável.”

 

O evento contou com a participação de representantes dos órgãos ambientais dos dois governos locais. Para a secretária de Meio Ambiente de Curitiba, Marilza Dias, o Plano de Ação Climática não será exitoso se não for incorporado por toda a sociedade. “É importante que as ações – tanto as do governo como as da sociedade civil – tenham visibilidade para todos os cidadãos. Esse é um projeto de extrema importância para a política climática de Curitiba, e nos dá essa possibilidade.”

 

Coordenadora de Políticas de Sustentabilidade de Porto Alegre, Rovana Bortolini apontou a urgência de que a sociedade se adeque a um consumo energético de baixo carbono, e afirmou que a capital gaúcha caminha nesse sentido. “Os projetos escolhidos vão fazer a diferença e ajudarão Porto Alegre a enfrentar as mudanças do clima.”

 

Durante a reunião, as quatro organizações escolhidas apresentaram os objetivos de seus projetos climáticos, assim como os planos de trabalho, indicadores e principais marcos da execução. As organizações também puderam realizar comentários e sugestões, trocando informações e experiências sobre este processo. 

 

Em Curitiba, o projeto do SENAI-PR vai desenvolver um painel de acesso público que permita o acompanhamento de indicadores relacionados à mudança do clima, bem como análises mais profundas sobre o fenômeno na cidade de Curitiba. Marilia de Souza, gerente executiva do Observatório Sistema FIEP da organização, afirmou que o projeto vai contribuir com soluções sustentáveis a serem aplicadas nas cidades. “Esse painel organizará informações para subsidiar a tomada de decisões voltadas ao enfrentamento das mudanças do clima.”

 

Já a Ambiens Sociedade Cooperativa realizará a instalação de placas solares fotovoltaicas em moradias do bairro de Caximba, na região periférica de Curitiba, além de um aplicativo que coletará os dados e disponibilizará os resultados obtidos. “Trabalharemos os dados disponibilizados pela EIE para conscientizar e engajar os setores da sociedade em relação ao desenvolvimento de baixo carbono”, ressalta Adriane Ferreira, gerente de Projetos da organização.

 

Em Porto Alegre, o projeto apresentado pela Centro de Inteligência Urbana de Porto Alegre (CIUPOA) realizará intervenções no Morro da Cruz, localizado na região periférica da cidade. Elas buscam a transformação de duas escolas municipais e um Centro de Tradições Gaúchas (CTG) em hubs de economia circular e zero emissão. “É com muita alegria que receberemos recursos de entidades tão engajadas no enfrentamento às mudanças do clima. Se nós não nos inserirmos dentro do local, nas comunidades, não teremos solução”, aponta Tânia Pires,  presidente do CIUPOA. 

 

Por fim, o projeto que será desenvolvido pelo Centro Brasil no Clima (CBC) propõe a construção de um sistema de indicadores que apoie a transição energética do transporte público da capital gaúcha. “Este projeto visa quantificar as emissões e apresentar alternativas para novas políticas de transporte”, observa Kathia Monteiro, do Instituto Augusto Carneiro, parceiro do CBC na execução do projeto.

 

Sobre o Action Fund Brazil

 

Em maio deste ano, Porto Alegre e Curitiba foram as duas capitais brasileiras selecionadas para participar do projeto Action Fund Brazil, colaboração entre o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e o Google.org.

 

A iniciativa possui a finalidade de apoiar organizações sem fins lucrativos na implementação de projetos locais e orientados por dados para a mitigação da mudança do clima, ajudando os tomadores de decisão a estabelecer metas relacionadas ao planejamento climático. O Action Fund, de aproximadamente US$4 milhões, será aplicado através das secretarias regionais do ICLEI na Europa, no Brasil e no México e Caribe.

Tags: Action Fund Brazil, Curitiba, inovação, Porto Alegre, Sustentabilidade, tecnologia