Recife: rumo a uma economia de baixo carbono

Os esforços da capital pernambucana foram reportados na Plataforma de Registro Climático

29 de out de 2014

Governo de Pernambuco

Uma das participantes brasileiras no Desafio das Cidades 2014/2015, iniciativa da Rede WWF em parceria com o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, Recife (PE) avançou na redução das emissões de gases de efeito estufa e no desenvolvimento rumo a uma economia de baixo carbono. Os esforços da capital pernambucana foram reportados na Plataforma de Registro Climático utilizada pelo Desafio, que registra dados, planos e ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Uma das ações da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife foi a criação de dois órgãos para a promoção da estratégia de baixo carbono: o GECLIMA e o COMCLIMA, que dialogam também com outras secretarias fundamentais para o desenvolvimento urbano. A partir daí, sairá o Plano de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima.

“Entendemos que, para discutir a política de mudanças climáticas, temos que realizar uma ação articulada entre governo e todos os setores da sociedade. Por isso, após fazermos os acertos internos do Plano, vamos abri-lo à comunidade, que poderá propor mudanças ou acréscimos”, explica Cida Pedrosa, Secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Recife.

Em 2013, Recife iniciou a construção de um inventário de emissões de gases de efeito estufa. Atualmente, ele está pronto e serve de norte para o Plano de Adaptação e Mitigação. A proposta é sugerir uma meta de redução de emissões na capital pernambucana para os próximos 20 anos.

Paralelamente, foi criada na Câmara dos Vereadores a Política Municipal de Sustentabilidade e de Enfrentamento às Mudanças Climáticas. Ela prevê, entre outros, a atualização do inventário a cada dois anos e a certificação para construções sustentáveis, além de premiações para boas práticas ambientais.

“Também fizemos um programa para implementar 40 mil lâmpadas LED na iluminação pública e duas licitações: uma para energia fotovoltaica e outra para o plantio de 30 mil mudas de árvores. Além disso, aprovamos na Câmara o Sistema Municipal de Áreas Protegidas e realizamos de forma sistêmica uma política de educação ambiental com as escolas públicas”, diz a secretária. Segundo ela, Recife desenvolveu, em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco, o Projeto Parque Capibaribe para revitalizar as margens do rio Capibaribe

Recife concorre com Belo Horizonte e Betim (MG), Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) para chegar à final brasileira do Desafio das Cidades, de onde sairá a Capital Nacional da Hora do Planeta 2015.

Desafio das Cidades

Trata-se de uma iniciativa concebida pela Rede WWF para homenagear as cidades que estão se tornando lugares mais verdes, de vida mais saudável e sustentável em direção a um futuro de clima mais ameno para o planeta. O objetivo é reconhecer esforços para o desenvolvimento de baixo carbono, as ações em andamento, por que e como relatar os compromissos. Estão convidadas a participar cidades que proponham soluções e planos de mitigação em setores como transportes, habitação, iluminação pública, resíduos e alimentação.

 

Fonte: WWF Brasil