Governos Locais delineiam a visão para a redução do risco de desastres para o período pós-2015 à frente da Conferência de Sendai

Foi realizada ontem a “Mesa Redonda de Autoridades Locais”, concluída com a Declaração de Sendai dos Governos Locais e Subnacionais

27 de jan de 2015

Reprodução

Como parte das atividades preparatórias para a 3ª Conferência Mundial das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (WCDRR, em inglês), foi realizada ontem a “Mesa Redonda de Autoridades Locais”, concluída com a Declaração de Sendai dos Governos Locais e Subnacionais. A declaração define a estratégia frente à conferência e os resultados esperados. Para seguir as atualizações sobre o ICLEI e a WCDRR, acesse aqui.

Sobre a Conferência

A 3ª Conferência pretende finalizar o projeto da estrutura internacional e de multistakeholders de colaboração sobre a redução do risco de desastres para as próximas décadas. Isto irá complementar o Marco de Ação de Hyogo implementado no período de 2005-2015.

A estrutura, atualmente em negociação, inclui uma série de elementos novos, significantes e inovadores. Estes incluem: um reconhecimento e engajamento das partes interessadas muito mais amplo; referências relevantes ao empodeiramento e ao desenvolvimento de capacitação das autoridades locais; convocação de plataformas locais, além de plataformas nacionais; o conceito de “Reconstrução Melhorada” (Build Back Better), que permite a sinergia com o ecossistema e a adaptação com base local; uma visão de metas com prazos quantitativos e indicadores; e um apelo para impor ao Fórum Político de Alto Nível o desempenho de um papel de coordenação com o objetivo de garantir sinergia e integridade com outros processos no pós-2015.

No entanto, a nova estrutura não fornece qualquer orientação ou reconhecimento específico para instalações de energia de alto risco, sistemas de seguros, ou atividades de mitigação preventiva, como uma transição para energias renováveis ou realocação antecipatória como redução do risco de desastres.

A Conferência para a Redução do Risco de Desastres é de particular importância como a primeira conferência intergovernamental da década de 2015. Assim, podem ser alcançados impactos significativos ao preparar o palco para muitos processos paralelos que irão moldar a agenda global de desenvolvimento no período pós-2015, incluindo: a Cúpula da ONU Pós-2015 em Setembro, que irá finalizar a transição das Metas de Desenvolvimento do Milênio para Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; Conferência-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21 / CMP11), em Paris, dezembro; e a Conferência HABITAT-III, a ser realizada em Quito em outubro de 2016.

A conferência de cinco dias será composta por três segmentos principais: sessões intergovernamentais, envolvendo múltiplos atores sociais diálogos, e do Fórum Público.