Porto Alegre adere à Campanha de Cidades Resilientes da ONU

O ato ocorreu na manhã de quarta-feira, dia 10, e contou com a presença do prefeito José Fortunati

13 de jun de 2015

Reprodução

O último dia do 1º Workshop de Cidades Resilientes marcou a adesão de Porto Alegre à campanha de Cidades Resilientes da Organização das Nações Unidas (ONU). O ato ocorreu na manhã de quarta-feira, dia 10, e contou com a presença do prefeito José Fortunati e do representante da ONU no Brasil, David Stevens.

Com a assinatura, Porto Alegre terá mais um impulso na elaboração da sua estratégia de resiliência, em discussão desde o início de 2014, quando foi uma das 100 cidades do mundo escolhida pela Fundação Rockefeller para participar do Desafio de Resiliência. O debate da estratégia envolve diversos órgãos da prefeitura – sob coordenação da Secretaria de Governança Local –, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ONG Centro de Inteligência Urbana de Porto Alegre (CIUPOA), empresas, organizações sociais e representantes das comunidades.

“Primeiramente, Porto Alegre procurou se habilitar do conceito de resiliência. O passo seguinte foi fazer o assunto ser compreendido pela população. Essa adesão que fazemos hoje à campanha da ONU é indiscutivelmente um passo fantástico”, afirma o prefeito Fortunati.

A partir de agora, a cidade passará a contar com o apoio e as recomendações da ONU e também se compromete a executar ações, como a criação de programas educativos, investir na implementação e manutenção de infraestruturas que evitem inundações e também na coordenação de ações com participação da comunidade e da sociedade civil organizada.

“A adesão é um reflexo do compromisso de Porto Alegre com a resiliência. É um marco, pois incentiva o compartilhamento de ideias e a troca de experiências entre as cidades”, diz David Stevens.

Cerca de 2,5 mil cidades em todo o mundo fazem parte da campanha da ONU de Cidades Resilientes, das quais 345 no Brasil. As cidades que aderiram à campanha terão que criar um plano de ação para tratar a questão da resiliência, processo que já está em curso na Capital.

A estratégia de resiliência de Porto Alegre deve ser entregue até o final de 2015.

Fonte: Porto Alegre Resiliente


Voltar
Compartilhe