Manual para Gestão Integrada e Sustentável de Resíduos Sólidos em Eventos

2014

Realização: ICLEI América do Sul

Download

Manual para Gestão Integrada e Sustentável de Resíduos Sólidos em Eventos

Em todo o mundo o setor de resíduos sólidos representa um grande desafio para regiões urbanizadas. Apesar da grande diferença no uso de estratégias e iniciativas para a gestão da questão entre países desenvolvidos e países em desenvolvimento, ambos os grupos de nações se esforçam para encontrar soluções ambientalmente adequadas e viáveis em suas cidades.

 

A literatura especializada no tema estabelece uma relação bem clara e direta entre crescimento econômico e inserção no mercado de consumo com o aumento de taxas de geração de resíduos. Porém, esta relação também deve ser compreendida na dimensão da operação de serviços e todas as etapas intrínsecas ao setor de planejamento de sustentabilidade no contexto das mudanças climáticas e de crescentes taxas de urbanização.

 

Neste sentido, o ICLEI, cumprindo sua missão em aportar recursos para cidades elaborarem melhores práticas no aproveitamento de seus resíduos, vê com muito otimismo e entusiasmo avanços nos planejamentos dos munícipios que visam introduzir boas práticas ao setor e promover formas de inclusão social, além de mitigar gases de efeito estufa.

 

O quarto relatório analítico do Painel Intergovernamental de Mudanças do Clima (IPCC, na sigla em inglês) mostra que os resíduos urbanos são responsáveis por 5% das emissões globais de gases de efeito estufa. No entanto, embora pareça uma parcela pequena, é importante ressaltar que as iniciativas de manejo adequado de resíduos ocorrem em nível local e a sua contribuição para a pegada de carbono em cidades tende a ser muito mais significativa do que as verificadas em inventários nacionais.

 

Recentemente, o ICLEI comprovou tal discrepância em Recife e Fortaleza, duas das principais cidades do Nordeste brasileiro. Por lá, a gestão de resíduos foi o setor econômico com a segunda maior taxa de emissões de gases de efeito estufa (i.e. Recife com aproximadamente 25% e Fortaleza com cerca de 20%). Não por acaso, os governos locais estão gradativamente se tornando mais atentos ao fato de que a mitigação desses gases está principalmente atrelada à redução na geração de resíduos, reaproveitamento e reciclagem, seja através de políticas como a dos 3R’s (i.e. Reduzir, Reutilizar e Reciclar) ou na aplicação de tecnologias e inovação.

 

Levando em consideração todos esses aspectos, o ICLEI enxergou que os grandes eventos realizados anualmente
nas cidades brasileiras, além da recente Copa da FIFA 2014 e da próxima Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016, podem promover a introdução de melhores práticas de gestão de resíduos como legados perenes para governos locais.

 

Esta publicação tem o objetivo de auxiliar no desenvolvimento de planos de gestão de resíduos em eventos e inspirar ações que possam contribuir, de alguma forma, para a diminuição do avanço dos impactos das mudanças climáticas, uma necessidade atual que definirá o futuro das próximas gerações.


Voltar
Compartilhe